quarta-feira, 15 de abril de 2009

Rindo à toa



Eu rio (do verbo rir) o dia todo, mesmo quando a "graça" não é tão engraçada, porque pra mim, o simples fato de não ter graça é engraçado e, por increça que parível, eu tenho rido (do verbo rir de novo) mais de mim mesma, das minhas próprias asneiras, dos meus esquecimentos e tomadas no c*, do que qualquer outra coisa.

Ontem, por exemplo, eu errei o caminho do meu trabalho, depois de quase 3 anos fazendo o mesmo fucking trajeto. O problema é que não é tão simples fazer um retorno em plena Bandeirantes, então, dá-lhe ré no acostamento por quase 1 quilômetro. E isso para mim foi engraçado, foi muito engraçado, tanto que eu mal conseguia dar ré, isso porque eu já não sou das melhor "rezistas", e depois toda hora que eu lembrava eu ria muito, o dia todo, porque eu viajei legal na maionegs.

Hora antes, eu passei pra pegar a minha carona mais fiel, viajando na maionegs denovo, passei na frente da casa dele, olhei para ele, dei tchauzinho e segui rua afora, só na esquina seguinte que eu fui me dar conta de que não era um tchau que ele estava me dando, mas uma tentativa desesperada de me fazer parar e de não perder a carona e ter que ir trampar de busão. Onde estava a minha cabeça? No pescoço é que não estava.

EU não ri ... eu raxei DEMAIS. Tadinho dele. O melhor foi a cara de gatinho do shrek que ele fez.

Sexta passada, foi f*da. Não, não foi engraçado na hora, mas depois eu ri. Uma indivídua resolve me ultrapassar pela direita e mergulhar na minha lateral direita com moto, capacete, barberagem e tudo mais. Na hora eu me procupei com ela, mas quando eu vi que era manha, minha peocupação se voltou para meu bebê (calma, meu bebê é meu carro). Eu ri, não tinha outra coisa pra eu fazer, eu olhava pro meu carro e ria, descontroladamente.

Aí quando eu fui pegar meu outro bebê (celular) para ligar pro resgate vir buscar a indivídua, pra acabar logo com o chororô. Surpresa! Mais um celular para a minha lista dos celulares perdidos. Mais um leve esboço de um meigo sorriso.

Não, eu não sou tão engraçadinha assim, mas meu lema é esse, EU RIO (do verbo ...) MESMO. Se eu tenho opção, pra que eu vo querer a prior, né não!?

Por essas e outras que eu penso que assim como choro de felicidade eu, muitas vezes, também rio de tristeza.

3 comentários:

Flavio Balsante disse...

Muitas vezes nos deparamos com os infortúnios de nossa vida,certamente como dizia aquele antigo ditado:
Rir(do verbo...) ainda eh o melhor remedio.

Túlio disse...

Ah vi vc rindo por 3 anos e eu tb rio (do verbo rir) a toa!!!
Eu rio, eu mar, eu cachoeira, eu oceano!!! Olha dá pra virar poesia!!! uhauauhahuahuhua

Café Secreto disse...

Gostei 'de cara' dos seus textos! Sem comentários por ora, entretanto. A não ser que, passado esse entusiamso, quero ainda ver o que que fica, pois eles têm algo que atrai, cuja substãncia e densidade ainda não sinto/compreendo bem. Mas, gostaria de te dar os parabéns, pois você tem, mais que talento, alma.